quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Escola Técnica Federal pode não ser instalada em Aquidauana (Carolina Acosta)


Fauzi e Marcus discutem possibilidade para regularização da área da construção da Escola Técnica

Em reunião realizada na manhã de hoje (27), o prefeito eleito de Aquidauana Fauzi Suleiman recebeu o diretor-geral da Escola Técnica Federal de Mato Grosso do Sul, professor Marcus Aurélius Stier Serpe para discutir a regularização da área de construção da Escola.

Em agosto, uma área da Fazenda Guanandy foi doada pela proprietária Sophia Rondon para a construção da instituição federal. O espaço doado atinge a área do aeroporto Guanandi, que precisa ser desativado pela administração municipal afim de que as obras possam começar.

O diretor-geral da Escola veio a Aquidauana expor ao futuro prefeito a importância da regularização da área doada. A construção tem previsão para março ou no máximo para abril. “Aquidauana pode perder a implantação da Escola por falta de compromisso da atual administração”, disse Suleiman.

A equipe de engenharia deve entregar de 60 a 90 dias os projetos da Escola prontos. “O cronograma está apertado. Para que os projetos fiquem prontos, a área da construção precisa estar com a situação regularizada”, explicou o diretor. Marcus comentou que outras áreas foram estudadas e ficão distantes do centro, o que gera alto investimento para o município.

A escola deve gerar um investimento no valor de R$5 milhões e a manutenção com despesas de R$ 3 milhões. “Esse dinheiro será gerido pelo município. A presença da Escola aqui vai ser significante para a economia de Aquidauana”, comentou Serpe.

Fauzi comentou que esses investimentos são estratégicos para a melhoria da cidade. “Não vamos deixar perder”, frisou.

A escola irá atender em torno de 1.000 a 1.500 alunos, e funcionará nos três períodos: manhã, tarde e noite.

Os funcionários e docentes serão selecionados por concurso público realizado pela instituição. Já os candidatos, passarão por exame de seleção através de uma prova.

Segundo o diretor-geral Marcus Aurelius, a escola oferecerá cursos técnicos, licenciatura, graduação e pós-graduação.

Marcus elogiou a iniciativa do governo federal em investir em escolas técnicas, segundo ele, o Brasil se tornou um canteiro de obras e precisa de técnicos. Serão construídas pelo Governo sete Escolas Técnicas Federais em Mato Grosso do Sul.

Carolina Acosta

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Fauzi recebe a visita do Superintendente da Semac (Carolina Acosta)

Na última sexta-feira (21), o prefeito eleito de Aquidauana Fauzi Suleiman recebeu a visita do Superintendente da Secretaria do Estado do Meio Ambiente, das Cidades, Planejamento, da Ciência e Tecnologia - Semac, arquiteto Sérgio Yonamine.

A visita consiste em discutir obras estratégicas para o município no âmbito do desenvolvimento urbano quanto no âmbito do zoneamento ecológico econômico. “Estamos em uma primeira visita, vamos estudar e pesquisar a situação de Aquidauana”, comentou Sérgio.

Foram apresentados ao Superintendente, o parque Pirizal, Córrego João Dias, Estação Ferroviária, Lagoa Comprida, Aeroporto, Pista de Atletismo, Avenida Dr. Sabino e por fim, o centro.

A primeira visita ao município foi positiva, levando em conta os problemas de saneamento e habitação. Para Yonamine, “é importante descobrir as potencialidades para gerar riqueza e recursos”.

Para o superintendente, a proximidade de Aquidauana com a Capital, 130 km, deve ajudar o município a se tornar um lugar de final de semana. “Essa cidade tem potencial para economia turística com atrativos naturais e inexploráveis”, disse.

Nova administração – Para Fauzi, a presença do Superintendente da Semac significa grandes projetos para Aquidauana. “O Sérgio tem uma visão estratégica. Ele realiza obras de impacto”.

Segundo o prefeito eleito, as obras devem começar no primeiro mês de seu mandato. “Já estamos trabalhando projetos”. Já existem cursos, que devem começar no ano que vem, para capacitação de mão-de-obra que o turismo exige, comentou Fauzi.

Trem do Pantanal – a volta do trem tem previsão para maio de 2009 com passagem de três horas em Aquidauana. Nesse tempo, o turista deve almoçar no município e conhecer os lugares turísticos. “Essa é uma parada estratégica, é um tempo generoso. Para isso a cidade deve se preparar, estar apta e organizada”, explicou Sérgio.

Segundo Yonamine, o turista deve gastar dinheiro no município além de apreciar o lugar. “O intuito do turismo é esse”. O projeto para Aquidauana é uma parceira entre a Prefeitura, o Governo do Estado e a iniciativa privada.


Carolina Acosta
Foto: Carolina Acosta
Legenda: Fauzi Suleiman, Sérgio Yonamine e Paulo Reis em visita a estação ferroviária de Aquidauana.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Secretário de Planejamento explica situação do aterro sanitário - Carolina Acosta

Após a matéria publicada na última segunda-feira (17), sobre as denúncias no aterro sanitário de Aquidauana, o secretário de Planejamento Ronaldo Ângelo deu explicações.

Segundo matéria enviada pela assessoria de imprensa, o processo de licitação para a abertura de duas células sendo uma para resíduos sólidos urbanos e outra para resíduos sólidos de saúde, estão abertos.

Ângelo comentou que a análise da água do córrego João Dias é feito trimestralmente e não existe contaminação. “Temos uma equipe de técnicos que cuidam dessas análises, não há contagio de chorume”, disse.

Conforme divulgado na matéria anterior, o processo licitatório foi fechado por determinação da justiça eleitoral. Em outubro, a licitação foi reaberta e existe um prazo de 30 dias para as negociações. “Já existe uma empresa ganhadora”, afirmou.

Sobre o mau cheiro, que chega até o bairro Nova Aquidauana, a assessoria informa que o lixo é compactado e recoberto periodicamente com uma camada de terra para evitar o mau cheiro e para não atrair vetores de doenças.

O aterro já foi notificado pela Sema – Secretaria de Meio Ambiente, para a construção da 3° célula. “Nós cumprimos as exigências da Sema. Se houvesse irregularidade, o aterro já estaria fechado”, comentou Ronaldo.

Há uma segunda licitação aberta para a Operacionalização e Manejo dos Resíduos Sólidos, que consiste na coleta e separação dos resíduos, o que aumentará a vida útil de cada célula.

Contradição – as denúncias apresentadas na matéria anterior afirmam que o lixo não tem sido tapado e o mau cheiro atinge a região do bairro mais próximo.

Carolina Acosta

terça-feira, 11 de novembro de 2008

TRE deve marcar novas eleições na cidade de Porto Murtinho

Terça-feira, dia 11 de Novembro de 2008 às 12:20hs
Willams Araújo

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) deve marcar novas eleições na cidade de Porto Murtinho, devido a cassação do prefeito reeleito Nelson Cintra (PSDB) e a inelegibilidade do promotor Heitor Miranda dos Santos (PT), o segundo colocado no pleito.

Cintra foi é acusado de comprar votos nas eleições municipais de outubro, podendo não ser diplomado caso o TRE mantiver decisão do juiz substituto da Comarca, Caio Márcio de Britto, que cassou a sua reeleição pela coligação Rumo ao Centenário Com Fé, Amor e Trabalho (PSDB /PTB / PP / PSDB / PMDB / PDT / DEM / PSB).

Cintra, que terá cinco dias para recorrer da decisão, é acusado pela coligação “De novo com a força do povo (PT - PR / PPS / PSC / PT), liderada pelo ex-prefeito da cidade, Heitor Miranda, de aliciamento de eleitores, por meio de compra de votos, durante o último pleito.

A sentença do magistrado atende a pedido de liminar interposto pelo advogado da coligação petista Valeriano Fontoura. Além de Cintra o juiz determinou à suspensão da diplomação da candidata a vice eleita por sua chapa, Rosângela Batista (PTB).

O juiz determinou ainda que Heitor Miranda, que perdeu a eleição para Cintra por apenas 12 votos de diferença, seja diplomado. No entanto, ele é considerado inelegível por não ter se afastado do cardo de promotor.

O resultado final das eleições em Murtinho registrou 3.511 votos para o tucano, ou 50,09%, do total apurado, contra 3.499 votos, o que representa 49,91%, recebidos pelo irmão do ex-governador Zeca do PT.

O advogado da coligação apresentou documentos comprovando o aluguel de 6 ônibus para transporte de eleitores de Campo Grande para Porto Murtinho.

De acordo com a ação de cassação, o secretário municipal de Meio Ambiente, Deodival Jocy Quil, teria assinado os cheques para o pagamento do transporte, feito pelas empresas Leny Tur e Neris Transportes Ltda.

Pelo esquema, os eleitores saíram de Campo Grande no dia 3 de outubro, e retornaram à Capital dia 5 de outubro, após as eleições.